Mais de 100 mil pessoas fogem da violência na República Democrática do Congo

20 janeiro 2012

A guerra civil que se trava entre as províncias do Kivu norte e sul, na República Democrática do Congo, voltou a aprovocar uma nova onda de deslocados internos; desde novembro que mais de 100 mil pessoas fugiram de casa e procuram refúgio em escolas, campos de refugiados improvisados ou sca de familiares.

[caption id="attachment_210367" align="alignleft" width="350" caption="Mais de 35 mil deslocados no Kivu Norte"]

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Mais de 100 mil civis foram forçados a abandonar as suas casas nas regiões do leste da República Democrática do Congo.

De acordo com a Agência das Nações Unidas para Refugiados, os combates  entre as forças do governo, grupos rebeldes e milícias locais continuam, é a mais recente onda de violência no país, que recomeçou em novembro.

Deslocados Internos

Só em Walikale e Masisi, território da província do Kivu Norte, pelo menos 35 mil pessoas foram deslocadas. O Acnur indica que pelo menos 22 pessoas morreram e um número indeterminado de mulheres foram violadas durante os confrontos.

No Kivu Sul, em Shabunda, quase 70 mil pessoas abandonaram as suas casas desde novembro.

Ajuda

A agência das Nações Unidas denuncia a falta de condições de segurança para a distribuição de ajuda humanitária. Os deslocados internos vivem em campos lotados, acampamentos improvisados e em escolas.

O Acnur estima que mais de um milhão de pessoas tenha sido afetada nos últimos anos devido ao que chamou de guerra civil entre as províncias do norte e sul do Kivu.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud