ONU apela para que crise na Somália não seja esquecida

19 janeiro 2012

A ajuda humanitária continua a ser necessária no país. As Nações Unidas calculam que quatro milhões de pessoas dependam dessa ajuda; um dos principais problemas que as agências enfretam é conseguir chegar às populações necessitadas.

[caption id="attachment_208875" align="alignleft" width="350" caption="Acesso ao país é difícil"]

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas e as agências humanitárias parceiras apelam para que o apoio continue a ser canalizado para a Somália, nação na região conhecida como Corno de África.

De acordo com a ONU, os acessos à região são, por natureza, difíceis, mas os acessos à Somãlia parecem ser ainda mais.

Um dos responsáveis do Escritório das Nações Unidas de Assistência Humanitária, Ocha, de Genebra, afirmou que apesar de meio milhão de somalis terem sido salvos da fome, os que ainda necessitam de ajuda urgente chegam aos quatro milhões.

Para a agência da ONU, os progressos feitos até a data facilmente voltarão ao ponto zero se a ajuda e assistência não for sustentada e continuada.

A Somália, além de alimentos e programas de apoio à nutrição, necessita de concentrar as atenções na recuperação dos setores agropecuários junto das comunidades.

A ONU lançou um apelo de 1,5 mil milhões de dólares para a Somália em 2012.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud