OMS recomenda atenção especial para quem tem implantes mamários da PIP

18 janeiro 2012

A Organização Mundial da Saúde recomendou a todos os que têm implantes mamários da marca francesa para se manterem em alerta; produto foi fabricado com material de qualidade inferior; implantes retirados do mercado internacional.

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Organização Mundial da Saúde chamou a atenção das pessoas com implantes mamários da marca francesa PIP para se manterem alerta para sinais de derrame, ruptura da prótese, inflamação ou dores.

A organização recordou que os implantes da PIP foram quase todos retirados do mercado internacional, na sequência de um escândalo que culminou com a descoberta da existência de material de menor qualidade na produção dos recheios. Esse recheio pode ser tóxico quando em contacto com a pele após derrame.

Fora do Mercado

A OMS, depois de consultas com as autoridades de segurança sanitária dos vários países onde os implantes foram comercializados, entre eles Portugal e o Brasil, sugeriu que eventuais derrames de líquido sejam de imediato comunicados aos médicos dos portadores das próteses, assim como inflamações, dores ou qualquer sinal que deixe o portador incómodo.

Os implantes da PIP foram também vendidos sob o nome M-Implants. Desde dezembro passado que as autoridades francesas pedem aos portadores com implantes da PIP que os retirem como medida de precaução.

Brasil e Portugal

No Brasil, as autoridades indicaram que pacientes com próteses da PIP e Rofil que apresentarem problemas de ruptura serão atendidos pelo Sistema Único de Saúde.

Em Portugal, onde três por cento de todas as próteses mamárias implantadas são da marca PIP, representando até duas mil mulheres, as autoridades locais aconselham vigilância e atenção. Em Portugal e no Brasil, as próteses das marcas em questão foram retiradas do mercado.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud