Energia renovável em discussão nos Emirados Árabes Unidos

16 janeiro 2012

Nações Unidas e parceiros querem duplicar utilização de energias renováveis até 2030; plano de ação deverá apenas ser divulgado na Conferência Rio + 20, em junho, no Brasil.

[caption id="attachment_210100" align="alignleft" width="350" caption="Ban Ki-moon"]

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas promovem de forma intensa o uso das energias renováveis porque considera-as uma vantagem para as comunidades, para o crescimento económico e para o planeta.

Na reunião da Assembleia Internacional da Agência para a Energia Renovável, Irena, que está a ser realizada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, o Secretário-Geral das Nações Unidas voltou a sublinhar este ponto.

Ação Sustentável

No discurso proferido, no domingo, Ban Ki-moon destacou ainda as vantagens que este tipo de energia oferece, incluindo promover o desenvolvimento económico e social, por exemplo, em África e na Ásia.

Segundo Ban, não há desenvolvimento sustentado sem energia sustentável. O Secretário-Geral sublinhou que o planeta está sobreaquecido. Já o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas alertou para o facto de os gases com efeito de estufa terem de ser reduzidos para metade em 2050, caso contrário, Ban recorda, o mundo aproxima-se do ponto onde não haverá mais retorno.

Esforços Conjuntos

A Agência Internacional para a Energia Renovável, Irena, foi criada em 2009 para fomentar a utilização de energias renováveis. Sediada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, é formada por 84 Estados-membros mais a União Europeia.

A assembleia da Irena realiza-se, normalmente, antes da Cimeira Mundial sobre o Futuro da Energia, que começou nesta segunda-feira, e que conta com a participação do presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, Nassir Abdulaziz al-Nasser.

Rio+20

Na Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, um plano de ação da Irena vai ser apresentado. O evento está agendado para junho, no Rio de Janeiro, no Brasil. Trata-se de um dos maiores eventos jamais organizados para debater o tema.

O director-geral da Irena, Adnan Amin, pertence a um grupo criado para promover a energia sustentável e advoga em prol do acesso universal aos serviços modernos de energia, da duplicação do nível de melhoramento da eficiência energética e da duplicação da quota de energia sustentada a nível global até 2030.

A Rio+20 vai ser um passo muito importante para a disseminação de planos, projectos e ideias.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud