Boletim da OMS alerta sobre envelhecimento da população na Alemanha
BR

10 janeiro 2012

Segundo projeções da ONU, país terá, até 2050, mais de 4,3 milhões de idosos, o dobro do número atual; aumento da expectativa de vida e queda constante na taxa de nascimentos dificulta financiamento público da assistência.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

O Boletim da Organização Mundial da Saúde, OMS, alertou para o que chamou de uma “bomba-relógio” demográfica na Alemanha.

Segundo o documento, divulgado na página da OMS, a Alemanha tem um dos sistemas de previdência social mais dedicados do mundo, mas o envelhecimento rápido da população pode afetar os serviços de forma grave.

Cuidados Médicos

De acordo com a OMS, uma das causas é o aumento da expectativa de vida na Alemanha e a queda, registrada há várias décadas, no número de nascimentos no país. A maioria dos idosos, que precisam de cuidados médicos, recebe o tratamento em casa.

O diretor do Centro Alemão de Gerontologia em Berlim, Clemens Tesch-Römer, disse que o país ainda não chegou a uma solução para o problema.

Pelas projeções da OMS, até 2050, a Alemanha terá 4,3 milhões de idosos, o dobro da taxa atual. Com este resultado, os alemães serão o segundo povo mais velho da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico, Ocde, ficando atrás apenas do Japão.

Idade Obrigatória

Cerca de 80% das pessoas que têm seguro de longo prazo para este tipo de tratamento, na Alemanha, têm 65 anos ou mais. Para se inscrever no seguro, no entanto, não existe idade obrigatória. De acordo com dados do governo, dos 82 milhões de alemães, cerca de 79 milhões têm algum tipo de seguro para cuidados na terceira idade. Mas apenas 12% são particulares.

Com isso, a pressão aumenta sobre os serviços públicos que terão que oferecer assistência para uma população que envelhece rapidamente. O pagamento feito aos idosos é equivalente a R$ 500 por mês, podendo chegar até R$ 1,5 mil. O paciente pode escolher repassar o dinheiro a um parente ou a uma pessoa que cuida de idosos.

Além da Alemanha, os outros países que têm assistência a idosos são o Japão, a Holanda e a Coreia do Sul. Em outras nações, estes serviços são financiados de forma privada, pelo próprio indivíduo ou família.

*Com reportagem de Jan Dirk Herbermann e Débora Miranda.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud