Missão da ONU no Congo condena mortes de civis no Kivu Sul

10 janeiro 2012

Grupos armados atacam aldeias remotas na província e matam pelo menos 45 pessoas; segundo a Monusco, Forças Democráticas de Libertação do Ruanda estão por trás da investida.

[caption id="attachment_209889" align="alignleft" width="350" caption="Policiais da Monusco"]

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Missão de Estabilização de Paz das Nações Unidas na República Democrática do Congo, Monusco, condenou de forma veemente os ataques contra civis, perpetrados por grupos armados do Exército de Libertação do Ruanda.

De acordo com a missão, os ataques ocorreram na semana passada na província de Kivul Sul e mataram pelo menos 45 pessoas, ferindo outras 50. A ONU crê que o número de deslocados seja importante, mas não avançou com valores. Todas as vítimas são civis, incluindo crianças.

Patrulhamento

A Monusco patrulha várias zonas do país neste momento, por ar e por terra. O Governo congolês concerta esforços com os responsáveis da ONU para a eventualidade de ter de enviar mais forças governamentais para o terreno.

A região do Kivu Sul, afetada pelos ataques, é de difícil acesso. Uma missão de reconhecimento das Nações Unidas vai ser enviada assim que a segurança no terreno for garantida, afirmou a Monusco em comunicado.

Ainda na informação, a missão sublinhou que a proteção de civis é a prioridade máxima neste momento.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud