O presidente africano que queria ser “o Lula da Guiné-Bissau”
BR

9 janeiro 2012

Em sua primeira entrevista à Rádio ONU, após ser eleito, Malam Bacai Sanhá contou que seu sonho era ser como o ex-presidente do Brasil no país de língua portuguesa, do oeste da África; ele passou pouco mais de dois anos no cargo até sua morte, anunciada nesta segunda-feira, em Bissau.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Malam Bacai Sanhá sonhava em deixar a Presidência da Guiné-Bissau como uma espécie de Lula do país africano.

O desejo do ex-estadista foi revelado à Rádio ONU numa entrevista, logo após a vitória dele nas urnas, em 31 de julho de 2009.

Falamos a Mesma Língua

“O Brasil e o Lula... O Lula é meu ídolo. Eu digo aqui que eu gostaria de ser o Lula da Guiné-Bissau. Nós temos uma cultura muito próxima, falamos a mesma língua, partilhamos a mesma História. Eu penso que será um dos países a visitar ainda este ano. Gostaria de me sentar e conversar com o parceiro Lula, trocar pontos de vista sobre desenvolvimento. E tentar ver se podemos captar algumas das experiências importantes do Brasil sobre desenvolvimento, combate contra a fome, energia. Há tantas coisas no Brasil. E eu sonho muito com isso. Eu gosto muito do Brasil, gosto daquele povo.”

O presidente da Guiné-Bissau, o país de língua portuguesa, no oeste da África, morreu em Paris, onde estava recebendo tratamento médico. A notícia da morte foi anunciada pela rádio e TV estatais. Não se sabe ainda a causa do óbito. Mas segundo a mídia local, Bacai Sanhá lutava contra a diabetes.

Bacai Sanhá estava no cargo há pouco mais de dois anos.

O embaixador da Guiné-Bissau nas Nações Unidas, João Soares da Gama, informou que o país irá declarar um luto nacional de sete dias.

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud