Sudão do Sul decidido a proteger civis de conflito étnico sobre pastagens

3 janeiro 2012

Secretário-Geral da ONU pede que raiz do problema seja resolvida; mais de mil pessoas morreram apenas em 2011 devido a desentendimento entre etnias sobre direito a pastagens.

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, falou, por telefone, com o chefe de Estado da mais jovem nação do mundo, o Sudão do Sul, para manifestar preocupação devido ao aumento da violência interétnica no estado sudanês do Jonglei.

Ban Ki-moon pediu também para que o problema seja reslvido pela raiz e congratulou o presidente, Salva Kiir, por comprometer-se com a proteção de civis apanhados pelo conflito entre as comunidade étnicas Lou Nuer e Murle.

Apoio Total

O Secretário-Geral das Nações Unidas sublinhou ainda ser fundamental que o Sudão do Sul respeite a letra da lei e os direitos humanos. E para isso, a missão da ONU no país, Unmiss, está completamente mobilizada para dar assistência ao Executivo de Kiir para aliviar a tensão que se vive em Jonglei.

Na semana passada, as Nações Unidas enviaram um batalhão para a cidade de Pibor, no Jonglei. Os capacetes azuis tinham ordem para proteger os membros da comunidade Murle, que fugia de um ataque iminente por parte de 6 mil jovens armados do grupo étnico Lou Nuer.

O Governo também enviou um batalhão do exército para a cidade, um dos pontos “quentes” do conflito.

Conflito Étnico

O estado do Jonglei é o centro da disputa entre as duas comunidades sobre pastagens para gado e acesso a água potável.

A maioria das vítimas são mulheres e crianças, muitas vezes alvo de raptos por parte de um dos grupos desavindos, além de roubo de gado. Mais de mil pessoas terão morrido apenas em 2011 apanhadas pelo fogo cruzado entre as comunidade. Jonglei é um dos estados sudaneses mais afectado pela violência étnica.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud