Programa para melhorar colheitas em Moçambique dá frutos

29 dezembro 2011

A FAO criou parcerias para fornecer sementes de qualidade aos agricultores; apenas 10 por cento da terra arável no país é cultivada. Agência quer muito mais.

[caption id="attachment_209470" align="alignleft" width="350" caption="Paulo Calção é um dos beneficiados"]

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O programa da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, em Moçambique, conseguiu aumentar o nível da produção agrícola no país de forma importante.

A agência criou parcerias com 15 empresas e mil pequenos produtores de sementes de qualidade nas sete províncias do país para promover o uso destas sementes nas plantações.

Sucesso

A iniciativa resultou na utilização de 3500 toneladas de sementes de qualidade. Os agricultores produziram milho, arroz, soja, feijão e  girassois.

Um dos agricultores beneficiados com o projecto, Paulo Calção, afirmou que com a introdução de sementes de qualidade produziu quase três toneladas de milho.

Calção garantiu que vai continuar a utilizar as sementes mesmo quando os subsídios acabarem. Ele é um dos 25 mil agricultores envolvidos neste projecto.

Estabilidade

De acordo com a FAO, apenas dez por cento da superfície arável em Moçambique é cultivada. Esta iniciativa das Nações Unidas é uma forma de garantir a estabilidade no país através da segurança alimentar.

A FAO estima que outros quatro milhões de agricultores não têm, ainda, acesso à iniciativa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud