PMA condena ataque que matou dois funcionários na Somália
BR

23 dezembro 2011

Um terceiro agente humanitário que trabalhava para a ONG parceria, Doyale, também perdeu a vida no atentado.

Joyce de Pina, da Rádio ONU em Nova York.*

O Programa Mundial de Alimentos, PMA, condenou o assassinato de três trabalhadores humanitários na Somália. Uma das vítimas era funcionário de uma organização não-governamental, parceira do PMA. Os outros dois trabalhavam para a agência da ONU.

Os três foram vítimas de um homem armado que atacou o grupo, em Mataban, na província de Hiiran, no centro da Somália.

Riscos

Em nota, o PMA disse que o atentado, praticado na manhã desta sexta-feira, demonstra os riscos sofridos por trabalhadores humanitários em uma das áreas mais perigosas e difíceis do mundo.

Os três homens estavam no local acompanhando a distribuição de alimentos e acampamentos para deslocados internos.

A Somália está tentando se reerguer de uma situação de guerra civil, que começou em 1991 quando o ex-presidente Mohamed Siad Barre deixou o poder.

O PMA deu pêsames às famílias das vítimas e informou que a agência está no país para levar alimentos às crianças que sofrem de má nutrição e fome.

O Programa Mundial de Alimentos é a maior agência humanitária do mundo na luta contra a fome. Todos os anos, em média, ele dá assistência a mais de 90 milhões de pessoas em cerca de 70 países.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud