Agências da ONU juntam-se para combater trabalho infantil na pesca

23 dezembro 2011

Crianças são usadas para cozinhar em barcos de pesca, lançar redes, limpar camarões, peixes e caranguejos e vender o pescado, entre outras atividades.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

As Nações Unidas estão a preparar um documento sobre a situação das crianças que trabalham na indústria pesqueira.

Nesta sexta-feira, a Organização para Agricultura e Alimentação, FAO, e a Organização Internacional do Trabalho, OIT, indicaram que o esboço do documento está a ser discutido em conjunto com governos e especialistas. A versão final deverá ser publicada em 2012.

Números

Segundo analistas, o trabalho infantil na indústria da pesca é um problema sério, mas a ONU não tem estatísticas sobre o tema.

Estima-se que se forem somados os números de crianças que trabalham na floresta, na pescaria e na agricultura, o total rondaria os 215 milhões. Um valor equivalente a 60% do trabalho infantil em todo o mundo.

De acordo com a FAO, muitas crianças são recrutadas para trabalhar nas cozinhas dos barcos de pesca e na limpeza dos caranguejos, camarões e peixes. Outras trabalham na venda do pescado, lançamento das redes de pesca e outras atividades relacionadas com a indústria.

No esboço do documento, preparado pela OIT e pela FAO, as agências afirmam que a melhor forma de combater o trabalho infantil, em qualquer setor é investir no desenvolvimento e na eliminação da pobreza.

*Apresentação: Joyce de Pina

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud