OMS recomenda a Moçambique serviço específico de recolha de sangue

20 dezembro 2011

Governo pretende reestruturar o sistema de recolha de sangue que passará a ser feito por uma entidade autónoma; ideia é duplicar colecta para 200 mil unidades/ano.

[caption id="attachment_209127" align="alignleft" width="350" caption="Foto: UN PHOTO"]

Manuel Matola, da Rádio ONU em Maputo

O governo moçambicano pretende criar um Serviço Nacional de Sangue. A decisão de abertura de uma entidade vocacionada na análise, colecta e distribuição de sangue no país visa responder a uma recomendação da Organização Mundial da Saúde, OMS.

A medida prende-se com a  insuficiência de sangue que todos os anos os hospitais do país atravessam.

Necessidades

As autoridades sanitárias moçambicanas indicam que, em média, Moçambique produz 100 mil unidades de sangue por ano. Mas, o país necessita anualmente do dobro da quantidade.

O porta-voz do Conselho de Ministros de Moçambique, Henrique Banze, explicou os objectivos desta iniciativa.

"Com diversas doenças que possam existir, nem todo o sangue que produzimos neste momento tem a qualidade desejada. Queremos institucionalizar com o governo esta matéria e, por outro lado, trazer benefícios que achamos que são importantes, de entre eles a racionalização dos recursos humanos Moçambique vai fazer esta institucionalização também para responder as suas necessidades e ir de encontro à legislação internacional que é colocada a nível da Organização Mundial de Saúde", afirmou.

Legislação

Nesta segunda-feira, o governo de Maputo aprovou uma proposta de lei, a ser submetida à apreciação do Parlamento, que prevê a criação do Serviço Nacional de Sangue.

Após a aprovação do dispositvo jurídico, a recolha de sangue em Moçambique passará a ser feita por uma entidade específica.

Com a reestruturação do sistema de recolha de sangue, o executivo moçambicano pretende que os hospitais deixem de fazer a colecta de sangue como trabalho rotineiro e que passe a haver pessoas especialmente dedicadas ao serviço.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud