Ban Ki-moon pede fim da violência na Somália

9 dezembro 2011

É a primeira viagem que uma delegação de alto nível da ONU visita o país desde 1993, dois anos após a queda do presidente Siad Barre e do início do conflito civil.

[caption id="attachment_208668" align="alignleft" width="350" caption="Ban Ki-moon condenou ataques "]

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Lyon.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, chegou esta sexta-feira a Mogadíscio, capital da Somália, para pedir o fim da violência no país. Ban foi acompanhado do presidente da Assembleia Geral da ONU, Nassir Abdulaziz al-Nasser.

Os dois reuniram-se com o presidente somali e outras autoridades da nação do extremo leste africano.

Comunidade Internacional

A Somália vive um conflito civil desde 1991, quando o ex-presidente Mohamed Siad Barre deixou o poder. Dirigindo-se a jornalistas, Ban disse que estava no país para perceber como a comunidade internacional pode apoiar o governo e os somalis. O país tem, no momento, um governo de transição.

O líder da ONU também pediu aos rebeldes da milícia Al Shabaab que acabem com a violência e participem no processo de paz.

A milícia proibiu agências humanitárias de atuarem nas áreas controladas pelos rebeldes. Ban Ki-moon condenou os ataques praticados pelas milícias.

Reconciliação

Ban Ki-moon disse aos Al Shabaab, e outros grupos, que paz, segurança e direitos humanos têm implicações regionais.

Segundo ele, o país já sofreu muito e por um longo período de tempo. O Secretário-Geral disse que chegou a hora da reconciliação.

Os rebeldes do Al Shabaab também são acusados de recrutar crianças-soldado numa crise que está agravada pela fome e pela seca.

Quatro milhões de pessoas foram atingidas e outras 250 mil enfrentam uma situação de fome.

Escritório Político

Esta é a primeira vez que uma delegação de alto nível da ONU visita a Somália, desde 1993.

De acordo com o Alto Comissariado para Refugiados, Acnur, a Somália é o país com a pior situação humanitária do mundo.

Ban Ki-moon afirmou que é preciso avançar com a Constituição e uma reforma  parlamentar. Ele disse ainda que o Escritório de Coordenação Política da ONU será transferido para Mogadíscio em janeiro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud