FAO divulga previsão ligeiramente positiva para 2011/2012

8 dezembro 2011

Relatório da agência indica valores da última avaliação trimestral para colheitas e alimentação mundiais; catástrofes naturais, conflitos e insegurança alimentar afetam, principalmente, o continente africano.

[caption id="attachment_208618" align="alignleft" width="350" caption="Foto: FAO"]

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Lyon.

O Índice de Preços de Alimentos manteve-se inalterado em novembro de 2011, em relação à classificação de outubro.

A informação vem no último relatório trimestral da Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO, publicado nesta quinta-feira.

O “Relatório Perspectivas de Colheitas e Situação da Alimentação” foca os pontos que afetam a situação alimentar nos países em desenvolvimento e especialmente nos Países de Défice Alimentar com Baixos Rendimentos.

Valores

O valor de importação de cereais desses países para o próximo período 2011/2012 atingirá um record de US$ 33 mil milhões, ou seja, 3,4% acima do período anterior.

Com um nível de 215 pontos, o Índice de preços era de 23 pontos em novembro, ou seja, 10% abaixo do valor máximo de fevereiro de 2011, mas manteve-se dois pontos, ou seja, 2% acima do nível anterior.

Os cereais são um dos principais produtos incluídos neste índice, que registou uma queda de 3 pontos, ou 1% desde outubro.

Uma queda em parte causada pelos preços do trigo, que caíram 3%, enquanto a quotação do arroz caiu ligeiramente e os preços dos cereais secundários permaneceram virtualmente inalterados.

Outros fatores incluem o agravamento das previsões económicas mundiais e o fortalecimento/valorização do dólar americano.

Nível recorde

O relatório confirmou o nível recorde de produção mundial de cereais de 2,323 milhões de toneladas em 2011, um valor que representa 3,5% de aumento comparado com produção de 2010.

Nesse sentido, a FAO diz que a colheita de cereais deste ano deveria ser suficiente para cobrir o aumento da utilização em 2011 e 2012, e permitir um reabastecimento moderado das reservas mundiais nesse período.

Alimento para animais

Prevê-se um aumento de 8% no uso do trigo para alimentação animal.

A FAO prevê um aumento em 511 milhões de toneladas do volume de cerais no final de 2012, o que significa que esse volume será 10 milhões de toneladas maior que no ano passado e que a relação cereais mundiais-quantidade para uso vai crescer 22%.

Insegurança alimentar

Quanto às zonas de insegurança alimentar, o Relatório indica que a situação permanecerá crítica nas afetadas pela seca na Somália até a colheita da estação agrícola no início de 2012.

No Corno de Africa a insegurança alimentar afeta 18 milhões de pessoas. Na África ocidental, muitos países viram a sua produção agrícola ser atingida pelas chuvas irregulares e pestes.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud