Para ONU, plataformas de novos média devem ser multilingues

6 dezembro 2011

Recomendação partiu da Comissão Económica para África, ECA; órgão quer partilhas de informações e conhecimentos, o que não ocorre quando o espaço cibernético é concentrado em apenas algumas línguas.

[caption id="attachment_205874" align="alignleft" width="350" caption="África regista maior número de telemóveis no mundo"]

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Lyon.

A África é responsável por apenas 3% do tráfego mundial de internet, embora seja no continente africano que se registe o aumento mais rápido do número de telemóveis de todo mundo.

Uma estatística referida por Hans Fernstermacher, o Presidente do Conselho de Administração da Associação de Globalização e Localização, durante a Semana de Ação para a Partilha de Informação Global 2011, Agis’11, que decorreu na semana passada.

Conteúdos

Durante a reunião, organizada pela Comissão Económica para África, ECA, em Addis Abeba, capital da Etiópia, Fernstermacher apresentou: “Tradução = Acesso: Romper com a Última Barreira à Informação”. Para ele, essa barreira ao fim das disparidades digitais é justamente a língua.

Segundo o presidente, esta época carateriza-se por uma “explosão de conteúdos” com “140 milhões de tweets por dia e a criação de 60 mil páginas web.”

Por esse motivo, Fernstermacher sublinhou a necessidade de que o conteúdo online se torne multilinguístico. Para ele, o maior desafio atual é fazer com que a informação diária esteja numa língua que o usuário entenda.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud