OMS pede à Europa medidas para conter surtos de sarampo em 2012
BR

2 dezembro 2011

De acordo com o escritório da agência no continente, foram mais de 26 mil casos em 36 países europeus de janeiro a outubro de 2011; casos estariam ligados a surtos em outros países como Brasil, Austrália e Canadá.

 

 

[caption id="attachment_208362" align="alignleft" width="350" caption="Importância da vacinação"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

 

A Organização Mundial da Saúde, OMS, pediu aos países europeus que tomem providências para evitar surtos de sarampo, no próximo ano.

 

Segundo a agência, os países devem coordenar esforços para conter a doença, o número de mortes e reduzir os custos de controle da epidemia.  A maioria das vítimas é de adultos ou adolescentes que não foram vacinados.

Brasil

Em relatório, divulgado nesta sexta-feira, o escritório regional da OMS informou que o aumento de casos de sarampo na Europa têm consequências sérias para as áreas de saúde e economia.

De acordo com a agência, os casos estariam ligados a surtos em vários países incluindo Brasil, Canadá e Austrália.

Entre janeiro e outubro deste ano, foram notificados 26 mil casos de sarampo em 36 países europeus. Mais de 14 mil ocorreram somente na França. A doença matou nove pessoas e deixou cerca de 7,3 mil hospitalizadas.

Comissão

O diretor do Centro Europeu para Controle de Doenças, Marc Sprenger, disse que é preciso formar uma comissão com profissionais da saúde e outros interessados para levar mais informação aos pais sobre a importância da vacinação.

A época de mais possibilidade de contaminação com o sarampo na Europa vai de fevereiro a maio. A OMS afirmou que o surto no oeste do continente está entre os maiores do mundo neste ano.

Outros países com aumento de casos de sarampo são a República Democrática do Congo, a Nigéria e a Somália.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud