Interpol e Banco Mundial criam projeto de defesa de tigres selvagens

29 novembro 2011

Organizações juntam-se no consórcio internacional para salvar espécie, em vias de extinção; tigres são alvo de comércio ilegal e estãos cobertos, desde 1975, por um anexo sobre proteção de comércio mundial.

[caption id="attachment_208206" align="alignleft" width="350" caption="Iniciativa visa proteção da espécie"]Susete Sampaio, da Rádio ONU em Lyon.

O “Projeto Predador” é o novo da mais recente iniciativa conjunta entre a Interpol e o Banco Mundial e que visa a proteção e preservação dos últimos sobreviventes da espécie de tigres selvagens.

A iniciativa de reforço global foi elogiada pelo Secretário-Geral da Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies de Fauna e Flora Selvagens em Extinção, Cites, John E. Scanlon, segundo comunicado emitido nesta terça-feira pela Convenção.

Comércio Ilegal

Os tigres são abrangidos num anexo da Cites sobre a Proteção do Comércio Mundial, mas continuam a ser vítimas do comércio ilegal. São procurados principalmente pela sua pele, mas também por servirem para a decoração e para a medicina tradicional.

Atualmente, a maioria dos felinos encontra-se em pequenos habitats, em várias zonas geográficas e em risco de extinção.

Com este projeto, a parceria tenta melhorar as capacidades de agentes de aplicação da lei para combater o comércio ilegal e outros crimes associados aos tigres; reforçar a capacidade de trabalho com funcionários do meio selvagem através do uso de métodos de investigação avançados.

Tigres Selvagens

No início do século passado, os tigres encontravam-se por todo o continente asiático e atingiam os mais de 100 mil. As estatísticas atuais apontam para que existem menos de 3200 a viver em meios selvagens.

Entre as entidades que estão participando da ação estão o Secretariado da Cites, a Interpol e o Escritório da ONU sobre Drogas e Crime, Unodc.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud