ONU diz que suspensão de ajuda humanitária agravará situação da Somália
BR

29 novembro 2011

Agências da ONU e outras entidades foram proíbidas de atuar em áreas controladas pela milícia Al Shabaab; somalis vítimas das secas e da fome estavam recebendo alimentos e remédios.

[caption id="attachment_208168" align="alignleft" width="350" caption="Milhares ficarão sem assistência"]

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Lyon.*

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, afirmou que a proibição de acesso a áreas controladas pela milícia Al Shabaab, na Somália, deverá agravar a situação das vítimas da seca e da fome no país africano.

A proibição foi anunciada pela milícia, nesta segunda-feira. As licenças de operação foram retiradas de agências da ONU e outras entidades humanitárias.

Áreas Inundadas

Para o Acnur, a situação é preocupante, uma vez que deixa milhares de pessoas sem assistência. O sul e centro do país, do extremo leste da África, passam atualmente por uma forte crise. Além da violência, a situação piorou com a chegada de chuvas intensas.

Muitas pessoas estão com medo de deixar as áreas inundadas por causa de ataques de milícias.

De acordo com a ONU, justamente nessas áreas, estão concentrados dois terços da população somali.

O Acnur informou que irá avaliar o impacto da decisão de proibir o acesso às vítimas.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud