FAO: Agricultura inteligente essencial para escapar a armadilha do combustível fóssil

29 novembro 2011

Documento lançado pela agência indica como o setor alimentar deve evitar o uso de combustíveis fósseis, de uma forma que limite o uso de gases nocivos para o clima e garanta a segurança alimentar no futuro.

[caption id="attachment_208150" align="alignleft" width="350" caption="Sistema alimentar precisa reduzir dependência a combustíveis"]

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Lyon.

As práticas agrícolas inteligentes são essenciais para escapar a armadilha dos combustíveis fósseis, de acordo com a Organização das Nações Unidas para  Agricultura e Alimentação, FAO.

Nesta terça-feira, a agência publicou um relatório durante a Conferência sobre Mudança Climática da ONU, a decorrer até dia 9 de dezembro, em Durban, na África do Sul.

Setor alimentar

O relatório “Alimentação Inteligente a nível Energético para a População e o Clima” mostra como o setor alimentar pode enfrentar os desafios energéticos e assim salvaguardar um futuro de segurança alimentar.

A FAO refere que o sistema alimentar mundial precisa de reduzir a dependência em combustíveis energéticos para conseguir alimentar a população do planeta em constante crescimento.

A inflação e flutuação dos preços dos combustíveis fósseis e as dúvidas relacionadas com a sua disponibilidade futura comprovam que os sistemas agroalimentares precisam de mudar para um modelo de práticas energéticas inteligentes.

Energia-clima

Segundo a publicação, este é um setor que requere tanto energia como a produção de energia – sendo que uma abordagem a práticas agrícolas inteligentes ao nível energético oferece uma possibilidade para tirar vantagens da relação binária energia-comida.

O setor alimentar - incluindo a manufatura, a produção, o processamento, o transporte, o marketing e o consumo, correspondem a cerca de 30% do consumo mundial de energia e produzem cerca de 20% das emissões mundiais de gases de efeito estufa.

De acordo com o Assistente do Diretor-Geral da FAO para Ambiente e Recursos Naturais, Alexander Mueller "o setor alimentar mundial precisa de aprender a usar a energia de uma maneira mais sensata. As práticas correntes em cada etapa da cadeia alimentar devem ser adaptadas para usarem a energia com menor intensidade."

O Relatório da FAO também defende que a agricultura tem um potencial importante para produzir mais da energia necessária para alimentar o planeta e ajudar o desenvolvimento rural.

Milhões de pessoas em todo o mundo continuam a usar a biomassa para a cozinha e o aquecimento.

O estudo da agência baseia-se em três objetivos, que são: fornecer energia a todos, em especial às comunidades rurais; melhorar a eficácia energética em todos os níveis da cadeia alimentar; e substituir o uso dos combustíveis fósseis do setor alimentar por sistemas de energia renovável.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud