António Guterres fala de mudança climática no Conselho de Segurança

23 novembro 2011

Alto-comissário da ONU para Refugiados dirigiu encontro nesta quarta-feira; ele defendeu que é necessária atenção séria para tema que afeta deslocações e cria conflitos no planeta.

[caption id="attachment_207990" align="alignleft" width="350" caption="António Guterres falou nesta quarta ao Conselho de Segurança"]

Susete Sampaio, da Rádio ONU em Lyon.

O alto comissário da ONU para Refugiados, António Guterres, dirigiu nesta quarta-feira encontro no Conselho de Segurança em Nova Iorque, sobre o impacto da mudança climática para os refugiados.

António Guterres disse que “a mudança climática não é uma variável independente. Um fenómeno que possa ser avaliado em isolamento de muitos outros processos económicos, sociais, políticos e ecológicos que determinam o nível de segurança humana acessível em várias partes do mundo”.

Movimentos

De acordo com o representante máximo do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, no ano passado, registaram-se 47,3 milhões de refugiados e deslocados internos, por causa de conflitos. Um número que “representa apenas uma fatia do bolo’’ dos deslocados mundiais, de acordo com Guterres.

António Guterres deu o “exemplo trágico da Somália, um caso particular onde convergem todos os fatores associados aos deslocamentos”.

Fatores adversos

Guterres refere também que a mudança de clima faz desaparecer a terra cultivável e a produtividade agrícola, agrava a pobreza, a insegurança alimentar e provoca o êxodo rural de jovens.

Para o alto-comissário existem cada vez mais evidências de que o aumento da frequência e intensidade de desastres naturais está associado ao processo de mudança climática. A última estatística indica que mais de 40 milhões pessoas foram afetadas pelas catástrofes naturais, a maioria das quais eram deslocados internos em países em desenvolvimento.

O alto comissário diz que a comunidade internacional tem sido impotente na matéria do clima. Apesar de já ter lido muitos livros e artigos sobre o tema, ainda não existe consenso no número de vítimas das últimas três décadas por causa do clima.

Tendências

António Guterres disse que “num mundo que se torna cada vez mais pequeno e, que pela primeira vez, enfrenta limites físicos ao crescimento económico, estas tendências só podem aumentar”. As tendências que formam este quadro complexo que são: mudança climática, crescimento populacional, insegurança alimentar, escassez de água são tema de várias cimeiras e debates em separado.

Mas “não existe nenhum fórum que permita uma discussão compreensiva e uma resposta compreensiva a estas tendências.”

Daqui a duas semanas, o Acnur vai reunir-se para analisar estes e outros temas numa reunião intergovernamental.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud