Relatores da ONU ‘alarmados’ com violência no Egito antes de eleições
BR

21 novembro 2011

Segundo agências de notícias, 20 pessoas morreram e mais de 1,7 mil ficaram feridas em novos protestos contra os militares que governam o país.

[caption id="attachment_206117" align="alignleft" width="350" caption="Protestos eclodiram no fim de semana"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um grupo de relatores independentes das Nações Unidas emitiu um comunicado, nesta segunda-feira, se dizendo “alarmados” com o grau de violência e o que eles chamaram de “piora” das liberdades de reunião no país árabe.

Os protestos contra a Junta Militar que governa o Egito desde a saída do presidente Hosni Mubarak, no início do ano, eclodiram neste fim de semana. Poucos dias antes das eleições parlamentares, marcadas para a próxima segunda-feira.

Diálogo Genuíno

Segundo agências de notícias, pelo menos 20 pessoas morreram nos protestos e mais de 1,7 mil ficaram feridas.

O relator especial para os direitos da liberdade de reunião pacífica e associação, Maina Kiai, disse que que está “profundamente preocupado com relatos sobre mortes de manifestantes.”

Ele pediu às autoridades do Egito que acabem com o uso da violência e que promovam um diálogo genuíno com todos os grupos da sociedade.”

Já o relator sobre execuções sumárias, Christof Heyns, disse que o uso da força letal não pode ser uma opção para o controle de protestos.

O especialista em liberdade de opinião, Frank La Rue, afirmou que é importante que o Egito, que está experimentando um novo capítulo em reformas democráticas, permita várias visões e opiniões incluindo a crítica a autoridades.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud