Alta comissária pede tratamento humano para detidos na Líbia
BR

21 novembro 2011

Filho de Muammar Khadafi, Saif  Al-Islam e chefe da inteligência do antigo regime, Abdullah Al Senussi, foram presos neste fim de semana; os dois estavam sendo procurados pelo Tribunal Penal Internacional.

[caption id="attachment_202885" align="alignleft" width="350" caption="Navi Pillay é alta comissária da ONU para os Direitos Humanos"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

A alta comissária de Direitos Humanos das Nações Unidas, Navi Pillay, elogiou, nesta segunda-feira, a prisão do ex-chefe de inteligência da Líbia, Abdullah Al Senussi, e de Saif Al-Islam Khadafi, filho do ex-líder do país, Muammar Khadafi.

Os dois foram capturados, em momentos separados, neste fim de semana, na Líbia. Eles enfrentavam, desde junho, uma ordem de prisão do Tribunal Penal Internacional, TPI, por crimes de guerra e contra a Humanidade.

Futuro da Justiça

Em nota, Navi Pillay disse que as prisões “têm uma grande importância para o futuro da justiça na Líbia.”

Ela saudou ainda o anúncio das autoridades de transição na Líbia de que o filho de Khadafi receberá um julgamento justo, e disse que os dois presos devem ser tratados de forma humana.

Em seu comunicado, ela comentou a nota emitida pelo presidente da Assembleia dos Estados-parte do TPI, divulgada neste fim de semana, sobre o tema. Christian Wenaweser chamou a atenção para a cooperação da Líbia com o Tribunal.

Segundo agências de notícias, as autoridades líbias querem que os dois homens sejam julgados no país.

Pelas regras do TPI, a Líbia tem o direito de realizar os processos em seu próprio território.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud