Portugal quer discussões mais práticas no Conselho de Segurança
BR

14 novembro 2011

Em entrevista à Rádio ONU, presidente Cavaco Silva diz que papel do órgão na paz, dos direitos humanos, defesa da democracia e liberdade dos povos não pode “ficar para a retórica, mas tem que passar à prática.”

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, disse que seu país quer dar uma contribuição clara ao Conselho de Segurança, durante este mês de novembro, quando ocupa a presidência rotativa do órgão.

Nesta entrevista à Rádio ONU, Cavaco Silva afirmou que o Conselho tem um papel fundamental na manutenção da paz e da segurança, na defesa da democracia e dos direitos humanos.

Debate Aberto

E segundo ele, estes temas não podem “ficar para a retórica, mas têm que passar à prática.” Cavaco Silva lembrou os assuntos deste mês no Conselho como Líbia, Síria e Oriente Médio.

“Portugal para este mês tem a presidência. E aí, para além de ter  introduzido com primeiro debate aberto, a proteção de civis em situação de conflitos armados, com a presença do Presidente da República português, o que mostra a importância que nós atribuímos ao respeito dos direitos humanos, à democracia, e a responsabilização daqueles que violam os direitos humanos. Até foi afirmado, em comunicado conjunto, da minha reunião com o presidente (Barack) Obama, nós compartilhamos que o Conselho de Segurança tem um papel fundamental na paz, na democracia, na segurança, dos direitos humanos, na liberdade dos povos.”

Viagem Oficial

A visita de Cavaco Silva às Nações Unidas, na semana passada, fez parte de uma viagem de 15 dias aos Estados Unidos, onde foi recebido também pelo presidente Barack Obama.

Cavaco Silva deve encerrar a viagem nesta terça-feira.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud