Relatores alertam sobre ‘intimidações’ a monges budistas no Tibete
BR

1 novembro 2011

Em comunicado, especialistas independentes manifestaram “grande preocupação” com relatos de medidas de segurança reforçadas ao redor do Mosteiro Kirti, na província de Sichuan, na China.

[caption id="attachment_207016" align="alignleft" width="350" caption="Sichuan, sudoeste da China"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Um grupo de relatores das Nações Unidas emitiu um comunicado alertando sobre o que chamaram de “restrições severas dos direitos humanos”. Segundo eles, os casos estariam ocorrendo em mosteiros budistas na China.

De acordo com os especialistas, o governo chinês “deve respeitar e garantir a liberdade de culto dos monges no Condado Aba, na província de Sichuan, no sudoeste do país.” O local abriga muitos tibetanos.

Locais de Culto

No comunicado, assinado pelo relator especial sobre Liberdade de Religião e Crença, Heiner Bielefeldt, e mais cinco outros relatores, as medidas pesadas de segurança estariam sendo introduzidas na área do Mosteiro Kirti. O local  concentra cerca de 2,5 mil monges.

Os especialistas disseram que as “intimidações das comunidades secular e a do mosteiro devem ser evitadas.”

Segundo os relatos, um grupo de militares foi enviado ao local com fuzis automáticos e caminhões repletos de soldados armados.

Batidas Policiais

Outras medidas da operação incluem batidas policiais aos mosteiros e  monitoramento das atividades religiosas.

Já o relator para o Direito à Liberdade de Opinião e Expressão, Frank La Rue, afirmou que “está profundamente preocupado com alegações de restrições ao acesso à internet e mensagens de texto no Condado Aba, além da falta de acesso de jornalistas à região da província chinesa.”

As medidas de segurança entraram em vigor após um aumento da tensão entre autoridades da China e membros da comunidade de monges budistas, em março de 2011.

Na época, os integrantes dos mosteiros pediram mais liberdade de culto. Por causa dos protestos, centenas de monges deixaram o local, outros foram presos ou estão com paradeiro desconhecido.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud