Conselho de Segurança aprova fim de exclusão aérea na Líbia
BR

27 outubro 2011

Resolução 2016, adotada por unanimidade nesta quinta-feira, elogia “declaração de libertação” após a morte de Muammar Kadafi no país norte-africano, mas expressa preocupação com relatos de represálias e detenções arbitrárias.

Eleutério Guevane da Rádio ONU em Nova York.*

O Conselho de Segurança aprovou, nesta quinta-feira, a suspensão da zona de exclusão aérea imposta à Líbia, no início do ano, por causa da violência política no país.

Adotada por unanimidade, a resolução 2016 anulou a de 17 de março que previa o uso da força para proteger os civis.

Proliferação

No documento, proposto, por Grã-Bretanha e Rússia, o Conselho manifestou preocupação com a proliferação de armas na Líbia e impacto sobre a paz e a segurança nacionais.

A zona de exclusão aérea foi imposta após a repressão violenta a manifestantes contra o regime do ex-líder líbio, Muammar Kadafi. Na quinta-feira passada, Kadafi foi morto durante um ataque a sua cidade-natal de Sirta.

No domingo, o país foi declarado “libertado” pelas autoridades do Conselho Nacional de Transição, CNT.

De acordo com a ONU, milhares de pessoas foram mortas durante os confrontos entre forças pró e contra Kadafi. Mas a organização também está preocupada com relatos recentes de represálias, detenções arbitrárias ou ilegais e execuções sumárias.

Ainda na resolução, o Conselho de Segurança disse que é preciso respeitar os direitos humanos de todos os líbios.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud