Amazonas recebeu dezenas de refugiados desde 2009, diz Acnur
BR

27 outubro 2011

Maioria é composta de homens jovens da África Subsaariana, mas grupo também inclui cidadãos do Irã, de Bangladesh e do Sri Lanka.

[caption id="attachment_206821" align="alignleft" width="350" caption="Refugiado congolês em frente ao Teatro Amazonas, em Manaus"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O escritório do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, em Manaus, informou que o estado do Amazonas acolheu 40 pedidos de asilo político nos últimos dois anos.

Segundo o Acnur, em Manaus, a região já vinha recebendo refugiados da América do Sul, mas esta última leva é composta por africanos subsaarianos, iranianos, cidadãos do Sri Lanka e de Bangladesh, na Ásia.

Professor de Francês

Um dos refugiados, um geólogo da República Democrática do Congo teve que deixar seu país, no centro-sul da África, devido à violência política. Hoje, ele vive e trabalha em Manaus como professor de francês.

Ele contou que se surpreendeu com o aumento do número de requerentes de asilo na capital do Amazonas, especialmente de africanos e asiáticos.

De acordo com o Acnur, muitos chegam a Manaus com o objetivo de se mudar para São Paulo. Alguns entram no estado do Amazonas de barco, ou por terra, vindos do Peru, da Colômbia, depois de fugirem para países como o Equador.

Segurança nas Fronteiras

O padre Isaías de Andrade, da Arquidiocese Cáritas, de Manaus, disse que a posição geográfica da cidade e as falhas de segurança nas fronteiras estão levando ao aumento da população de refugiados.

Geralmente, as pessoas que pedem asilo no Brasil estão fugindo de conflitos, fome e violência. O país abriga refugiados de 77 nações e territórios.

A maioria dos 4,5 mil refugiados estrangeiros que vivem no Brasil vem de Angola, da Colômbia e da República Democrática do Congo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud