Presença policial em Dadaab deve ser reforçada após sequestros, indica Acnur

21 outubro 2011

Agência fala de contactos com autoridades quenianas com vista ao aumento de forças de segurança, após rapto de duas trabalhadoras humanitárias na semana passada.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Mais agentes policiais devem ser destacados para aumentar a segurança no complexo queniano de Dadaab, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur.

Na semana passada, homens armados sequestraram duas trabalhadoras humanitárias estrangeiras ao serviço da ONG Médicos Sem Fronteiras.

Suspeitos

As autoridades locais foram citadas por agências noticiosas como tendo referido que os sequestradores teriam sido suspeitos membros do grupo de milícias al-Shabaab, da Somália.

Considerado o maior centro de refugiados do mundo, Dadaab alberga mais de 460 mil refugiados somalis.

Assistência de Emergência

O Acnur anunciou que, em coordenação com os seus parceiros, continua a fornecer assistência de emergência aos refugiados após o incidente. Em parceria com o Programa Mundial da Alimentação, PMA, tem distribuído rações alimentares e outros suprimentos para os recém-chegados.

Estão igualmente em curso actividades de transporte de água, cuidados de saúde e actividades lectivas em escolas primárias para refugiados, onde trabalham professores recrutados entre a população dos campos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud