OMS anuncia abertura de novo hospital para refugiados somalis na Etiópia

27 setembro 2011

Instalações devem fornecer equipas médicas, garantir suprimentos e equipamentos aos que buscam abrigo nas regiões fronteiriças.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Milhares de refugiados somalis em fuga, para as regiões fronteiriças com a Etiópia, passam a contar com um novo hospital no campo de Dolow, situado  ao longo da fronteira entre os dois países.

As instalações serão geridas e operadas pela Organização Mundial de Saúde, OMS, que além fornecer a equipa médica deve garantir suprimentos e equipamentos.

Deslocados de Mogadíscio

Falando a jornalistas, em Genebra, o porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic disse que o hospital deve ajudar a reduzir o número de deslocados que foge de Mogadíscio ou de campos de refugiados em busca de assistência médica.

De acordo com o porta-voz, o hospital é um centro auto-suficiente, que inclui uma tenda com oito enfermarias, uma sala de operações e um laboratório básico destinados a funcionar durante os próximos seis meses.

Segundo acrescentou, mais de 400 pacientes foram tratados desde a semana passada e observada uma média de 65 pacientes diários, incluindo mais de 30 cirurgias realizadas com sucesso.

De acordo com a OMS, as instalações já trataram casos de malária, diarreia aguda, infecções respiratórias agudas e prestaram assistência de emergência a pacientes que sofrem de ferimentos relacionados ao  conflito.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud