Mensageira da Paz da ONU, Wangari Maathai, morre aos 71 anos

26 setembro 2011

Primeira mulher africana a receber o prémio Nobel foi vítima de cancro; ambientalista, Maathai iniciou movimento ecológico que plantou cerca de 30 milhões de árvores.

[caption id="attachment_205380" align="alignleft" width="350" caption="Wangari Maathai morreu neste domingo, aos 71 anos, vítima de cancro"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Morreu, neste domingo, na capital queniana, Nairobi, a Mensageira da Paz da ONU e primeira mulher africana a receber o Prémio Nobel da Paz, Wangari Maathai.

Maathai, de 71 anos, foi vítima de cancro. Em 2009, a sua nomeação como Mensageira da Paz, pelo Secretário-Geral, Ban Ki-moon, foi em reconhecimento ao seu “compromisso inabalável”  com os direitos humanos e democracia.

Prémio Nobel da Paz

Em declarações a jornalistas na primeira visita às Nações Unidas, após receber o Prémio Nobel da Paz, em 2004, Maathai disse que o mundo deve reconhecer que recursos naturais são limitados.

Wangari Maathai disse que o Premio Nobel da Paz realçava que a preocupação com a maioria devia ser generalizada e os recursos geridos de forma sustentável. Segundo acrescentou, estes devem ser partilhados equitativamente, não permitindo que poucos se beneficiem dos recursos às custas da grande maioria, tendo alertado que a situação poderia causar conflitos.

Causas Ambientais

Reconhecendo o seu contributo em prol de causas ambientais, o Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma, enalteceu o facto de Maathai  ter sido a fundadora do Movimento Cinturão Verde, em 1977, que resultou no plantio de 30 milhões de árvores em África.

A agência enaltece o encorajamento da patrona às mulheres rurais quenianas, como parte da Campanha Mil Milhões de Árvores.

Ecossistemas Florestais

Em Fevereiro deste ano, Maathai foi nomeada Embaixadora da Boa Vontade para os Ecossistemas Florestais da Bacia do Congo. A nomeação foi feita na capital congolesa Brazzaville, pela Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO.

Entre as distinções atribuídas pelo papel de Wangari Maathai, em prol da defesa das comunidades de todo o mundo, constam o Légion d'Honneur da França em 2006, o Prémio Nelson Mandela para a Saúde e Direitos Humanos em 2007.

Primeira Doutoramento

Além da Ordem do Japão do Sol Nascente em 2009, ela recebeu doutoramentos honoris causa de diversas universidades.

Wangari Maathai nasceu próximo de Nyeri, no planalto central queniano, em 1940. Ela teve instrução, tanto no seu país como nos Estados Unidos, onde concluiu o bacharelato do Colégio Santa Escolástica e o mestrado da Universidade de Pittsburgh.

Ela foi a primeira mulher na África Oriental e Central a receber o grau de doutoramento na Universidade de Nairobi, em 1971.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud