FHC diz à Rádio ONU que não apoia novo imposto para saúde
BR

22 setembro 2011

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirma que Brasil vive hoje situação econômica superior à da epoca em que a CPMF foi criada, com a ajuda dele.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou ser contra a criação de um novo imposto para a saúde no Brasil.

Segundo ele, a situação fiscal do país é hoje “muito positiva” e dá margem para o que ele chamou de “reorganização dos gastos”.

Sociedade

O ex-presidente fez a declaração durante uma entrevista ao repórter Eleutério Guevane, da Rádio ONU, nesta quarta-feira.

“Eu acho que não resolve o problema. Porque o Brasil, hoje, tem uma carga tributária bastante elevada, 36% do Produto (Interno Bruto). Eu acho que é muito melhor fazer uma realocação de despesas. A sociedade já está muito sobrecarregada de impostos. Eu fui um dos que ajudaram a implantar a CPMF no passado, quando nós estávamos em crise. Mas hoje não. Hoje a situação fiscal não é a mesma, é mais positiva. O governo tem impostos. Eu acho que seria melhor uma reorganização dos gastos e talvez um freio em certos gastos, direcionados para a saúde”, explicou.

A questão da saúde brasileira foi destaque também na Assembleia Geral da ONU durante o discurso da presidente Dilma Rousseff num encontro de alto nível sobre doenças crônicas, nesta segunda-feira. Dilma falou sobre investimentos feitos, pelo seu governo, em compra de remédios para diabéticos e hipertensos.

Ao comentar o papel do Sistema Único de Saúde, o ex-presidente Fernando Henrique elogiou a existência do SUS.

Dinheiro

"A saúde requer mais recursos, eu não tenho dúvida quanto a isso. Mas eu acho que hoje, a saúde requer muito mais do que dinheiro, atenção. As pessoas se queixam muito. Não é que não exista um sistema de saúde. Nós temos; que atende, em tese, a todos os brasileiros gratuitamente. Mas é mal atendido. O Brasil chegou a um ponto que o crescimento econômico – a menos que haja uma catástrofe maior no mundo – vai continuar. O nosso problema hoje é muito mais de criar uma sociedade decente, agradável, boa. No caso da saúde, ao mesmo tempo que precisa de dinheiro, é preciso muito mais do que dinheiro, que são esses intangíveis”, afirmou.

Fernando Henrique Cardoso fez parte do grupo de Pessoas Eminentes que participaram do painel do ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan, sobre Relações com a Sociedade Civil.

A entrevista, na íntegra, com o ex-presidente será publicada na página da Rádio ONU na próxima segunda-feira, 26 de setembro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud