Alastramento da cólera preocupa no Chade

15 setembro 2011

Agências humanitárias consideram próximas oito semanas “cruciais para conter surto”; pelo menos 400 pessoas morreram e 13 mil foram infectadas.

[caption id="attachment_204668" align="alignleft" width="350" caption="Chade é afetado pela cólera"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Agências humanitárias manifestaram receios de que a cólera se alastre no Chade. Autoridades do país da África Ocidental, dizem estar a tentar lidar com um surto que, segundo a ONU, já matou pelo menos 400 pessoas e infectou mais de 13 mil.

A organização aponta que devido à falta de instalações sanitárias adequadas, a epidemia deve continuar a espandir-se durante a época chuvosa, apesar dos esforços de contenção.

Insegurança

O coordenador Humanitário da ONU para o Chade, Thomas Gurtner, disse que mais de 1,5 milhão de pessoas sofrem de insegurança alimentar no país.

Espera-se que o problema, aliado ao repatriamento de cerca de 80 mil chadianos da Líbia, possa agravar a situação.

Época Chuvosa

Prevê-se que até ao fim da época chuvosa, entre de 10 e 15 mil pessoas sejam infectadas.

De acordo com o coordenador, as agências tentam reduzir os números de infectados, mas prevê-se que haja dificuldades durante as próximos quatro a oito semanas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud