FMI quer equilíbrio de finanças em empresas públicas portuguesas
BR

14 setembro 2011

Primeira revisão do empréstimo ao país foi divulgada nesta segunda-feira após a liberação de uma parcela equivalente a mais de R$ 9 bilhões.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

O Fundo Monetário Internacional, FMI, completou a primeira revisão do pacote de empréstimo a Portugal.

Num comunicado, emitido pelo Fundo nesta segunda-feira, técnicos do órgão recomendaram mais equilíbrio nas finanças das empresas públicas do país.

Chances de Sucesso

As recomendações acompanharam a aprovação de uma parcela do acordo, equivalente a mais de R$ 9 bilhões.

O empréstimo do FMI a Portugal é parte de um pacote de cooperação que inclui a União Europeia, pelos próximos três anos, com um montante de € 78 bilhões.

O vice-diretor-gerente do Fundo, Nemat Shafik disse que o novo governo português “já sinalizou seu forte compromisso com o programa.”

Segundo ele, a decisão do Conselho Europeu com políticas para reforçar a zona do euro frente à crise econômica na União Europeia “aumentou as chances de sucesso do plano.”

Exportações

Nemat lembrou ainda que as condições financeiras atuais na Europa são muito difíceis especialmente com a desaceleração da demanda no mercado de exportações.

De acordo com a mídia portuguesa, uma outra exigência do FMI é a queda da taxa social única, conhecida com TSU. Para os técnicos do órgão, a política de redução da taxa “deve ser mais agressiva.”

O FMI também quer que o governo português promova cortes equivalentes a 2% do Produto Interno Bruto, PIB.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud