Perspectiva Global Reportagens Humanas

Conflito no Nilo Azul é preocupação crescente de agências humanitárias

Conflito no Nilo Azul é preocupação crescente de agências humanitárias

Eclosão de combates entre as Forças Armadas do Sudão e o Movimento de Libertação do Povo do Sudão do Norte fazem  milhares de refugiados; OIM aponta existência de milhares de isolados na fronteira com a Etiópia.

[caption id="attachment_204210" align="alignleft" width="350" caption="Agências da ONU preocupadas com conflitos no estado do Nilo Azul"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Agências da ONU pediram às partes em conflito no estado sudanês do Nilo Azul que permitam que funcionários humanitários tenham acesso à região para a avaliação das necessidades dos civis.

Em conferência de imprensa,  esta terça-feira, em Genebra, o Programa Mundial da Alimentação, PMA, indicou que várias ONGs estão preocupadas com a recente eclosão de combates entre as Forças Armadas do Sudão e o Movimento de Libertação do Povo do Sudão do Norte, Spla-n.

Desalojados

Os confrontos, iniciados na noite da última quinta-feira na capital, Ed Damazine, espalharam-se para outras partes do estado e provocaram milhares de desalojados.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, aponta para a existência de pelo menos 20 mil refugiados provenientes do estado sudanês na Etiópia, e sublinha que o número tende a crescer.

Combates

Depois de retornar esta segunda-feira da região etíope deAssosa, a oeste, equipa da agência, frisou que que o fluxo agravou na semana passada, devido a combates na fronteira entre o país e o Estado do Nilo Azul.

A OIM, que também enviou pessoal para fornecer assistência de emergência  à região, disse haver um grande número de pessoas isoladas na fronteira com pouca comida, água e abrigo.