Ex-general jugoslavo é condenado a 27 anos por crimes de guerra

6 setembro 2011

Mombilo Perisic liderou o estado maior-general  entre 1993 e 1998; Ele rendeu-se ao tribunal de Haia, em Março de 2002.

[caption id="attachment_201949" align="alignleft" width="350" caption="Tribunal das Nações Unidas para a Ex-Juguslávia"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Tribunal das Nações Unidas para a ex-Jugoslávia condenou, esta terça-feira, um antigo comandante do exército jugoslavo por crimes de guerra. O general Mombilo Perisic recebeu uma pena de 27 anos de prisão.

Perisic, de 67 anos, foi a mais alta patente militar e liderou o estado maior-general entre 1993 e 1998 durante as guerras da Bósnia e da Croácia.

Cumplicidade

Mombilo Perisic foi considerado culpado de cumplicidade em assassinatos, actos desumanos, perseguições por motivos políticos, raciais ou religiosos, e os ataques contra civis em Sarajevo e Srebrenica. Ele declarou-se inocente das acusações.

O tribunal absolveu o ex-comandante de acusações de participação directa no massacre de Srebrenica que resultou na morte de mais de 8 mil pessoas, em 1995.

Ataques de Zagreb

O juiz Bakone Moloto, que anunciou a sentença, considerou o ex-general  culpado de não punir seus subordinados pelos seus crimes de assassinato, ataque a civis e ferimento de civis durante os ataques a Zagreb, na Croácia em Maio do mesmo ano.

O general rendeu-se ao tribunal de Haia, em Março de 2002. A condenação ocorre enquanto se espera o início de julgamento do ex-general sérvio Goran Hadzic, acusado de crimes de guerra nos Bálcãs.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud