ONU elogia condenação de oficiais militares por mortes na Bolívia
BR

2 setembro 2011

Reus foram julgados durante dois anos pelo assassinato de mais de 60 pessoas durante protestos anti-governo em 2003; ex-ministros do Trabalho e do Desenvolvimento Sustentável também foram sentenciados.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.*

A alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, elogiou a decisão da justiça da Bolívia ao condenar cinco oficiais militares pela morte de mais de 60 pessoas, em 2003, no país. Dois ex-ministros do governo boliviano também foram sentenciados.

No episódio, que ficou conhecido como “outubro negro”, 69 manifestantes foram mortos pela polícia durante um protesto num gasoduto do país.

Impunidade

Em comunicado, a alta comissária da ONU disse que as condenações dos militares era “um passo importante na luta contra a impunidade.”

A repressão ao protesto que deixou mais de 400 feridos ocorreu num gasoduto na cidade el El Alto, perto da capital administrativa, La Paz.

Segundo testemunhas, os soldados atiraram por vários dias contra a multidão que se aglomerava na frente do gasoduto.

Indenizações

Após um julgamento, que durou dois anos, cinco oficiais militares foram sentenciados de 10 a 15 anos de prisão.

O ex-ministros de Desenvolvimento Sustentável e do Trabalho também foram condenados a três anos cada.

Navi Pillay pediu ao governo da Bolívia que tome “todas as medidas necessárias para assegurar que as vítimas e os parentes sejam indenizados”.

*Apresentação: Leda Letra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud