Haitianos no Brasil receberão direito de permanecer no país legalmente
BR

2 setembro 2011

Medida favorece apenas aos que solicitaram refúgio após o terremoto de 2010; iniciativa foi acordada com governo, sociedade civil e o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur.

[caption id="attachment_204104" align="alignleft" width="350" caption="Por causa das condições humanitárias ainda difíceis no Haiti devido ao terremoto, o Acnur pediu aos governos de todo o mundo que não promovam nenhuma repatriação involuntária "]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Brasil está concendendo vistos de residência permanente a haitianos que chegaram ao país após o terremoto de 2010 na ilha caribenha.

A medida beneficia, no entanto, somente os cidadãos do Haiti que pediram refúgio ao governo brasileiro após o desastre natural.

Trabalhar Legalmente

A iniciativa do Comitê Nacional para os Refugiados, Conare, conta com o apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur.

Com a residência permanente, os haitianos que vivem no Brasil poderão trabalhar legalmente, abrir contas e receber benefícios. De acordo com o governo, desde o terremoto no Haiti, foram concedidos a haitianos no país, 418 vistos de residência permanente.

Mas o número de pessoas que pediram asilo é de 2150.

Segundo uma nota do Acnur, muitos haitianos que receberam o visto de permanência ainda não sabem da decisão por terem se deslocado a outros estados brasileiros.

Lista

As informações sobre o andamento do processo e uma lista com os nomes dos que tiveram seus vistos aprovados podem ser encontradas no site www. migrante.org.br

Por causa das condições humanitárias ainda difíceis no Haiti devido ao terremoto, o Acnur pediu aos governos de todo o mundo que não promovam nenhuma repatriação involuntária de haitianos que estejam vivendo em seus territórios.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud