ONU pede investigação de alegadas execuções sumárias na Líbia

30 agosto 2011

Escritório de Direitos Humanos da ONU indica que estas teriam sido aparentemente cometidas por forças de Kadafi; nota também ressalta apontados relatos contínuos de repressão de protestos no Bahrein.

[caption id="attachment_203948" align="alignleft" width="350" caption="Muammar Kadafi"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Escritório de Direitos Humanos da ONU disse estar alarmado com relatos de violações, incluindo execuções sumárias alegadamente ocorridas na Líbia.

Um comunicado lançado, esta terça-feira, em Genebra, indica que estas teriam sido cometidas, na sua maioria, pelas forças do coronel Muammar Kadafi, dias antes da tomada da capital, Trípoli, por forças rebeldes.

Ultimato

De acordo com agências noticiosas, os rebeldes, que agora controlam a maior parte do país, deram um ultimato para rendição das forças pró-Kadafi, até o próximo sábado.

O Escritório manifesta preocupação com relatos da existência de milhares de desaparecidos, após terem sido supostamente detidos ou feito prisioneiros antes e durante o conflito, que teve início após os protestos de Fevereiro.

Investigações

Aos membros do antigo regime, o escritório instou que revelem os locais de prisão das vítimas. O comunicado pede igualmente que os crimes sejam documentados e investigados - incluindo violações graves do direito internacional, dos direitos humanos e do direito humanitário internacional.

As medidas são consideradas “os primeiros passos para a responsabilização e justiça para as vítimas e suas famílias”. Uma Comissão de Inquérito mandatada para a Líbia deve examinar todos os relatos até Março de 2012.

Bahrein

Entretanto, a mesma nota dá conta de relatos contínuos de repressão de protestos no Bahrein, onde aponta haver pelo menos 264 casos pendentes envolvendo manifestantes nos tribunais.

O comunicado pede que os civis “sejam julgados em tribunais civis e que os detidos sejam acusados por um crime reconhecível, com acesso adequado a um advogado e tempo suficiente para preparar uma defesa.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud