Egipto entre países com nova variante do vírus da gripe aviária

29 agosto 2011

FAO aponta riscos do vírus se espalhar por outros países; especialista defende que acções humanas na produção e comercialização ajudam a espalhar a doença.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Egipto integra uma lista de países onde foi detectada uma nova variante do vírus H5N1, que causa a gripe aviária. A nova variante foi identificada como H5N1 - 2.3.2.1.

Nesta segunda-feira, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, alertou sobre a possibilidade de um novo surto. A agência aponta haver riscos imprevisíveis para a saúde humana.

Casos Fatais

Desde o seu surgimento em 2003, a gripe aviária matou 331 pessoas e infectou 556. A Organização Mundial da Saúde, OMS, indica que a morte mais recente ocorreu no Cambodja, que já registrou oito casos fatais de infecções em seres humanos, desde o início deste ano.

Devido à doença, mais de 400 milhões de aves domésticas foram sacrificadas ou abatidas, nos últimos oito anos. A medida causou perdas de mais de US$ 20 mil milhões em todo o mundo.

Países Endémicos

O auge da contaminação com a gripe aviária ocorreu em 2006 quando 63 países foram atingidos pela doença. Mas o vírus permaneceu endémico em seis países.

Cerca de 800 casos de gripe aviária foram notificados desde o ano passado. As áreas mais afetadas, recentemente, são: os territórios palestinos, Bulgária, Romênia, Nepal e Mongólia.

Movimento das Aves

Para o veterinário-chefe da FAO, Juan Lubroth, a disseminação do vírus está associada com o movimento migratório das aves. Falando à Rádio ONU, de Roma, ele explicou sobre os riscos do vírus se espalhar por outros países.

"Tem um comportamento um pouco mais agressivo do que em 2010 e 2009. Todo o mundo é suscetível à extensão de um vírus de influenza. Hoje as comunicações entre países e continentes se faz em 12 horas. Então se você está incubando a doença ou está importando material, ou tem alguma roupa não limpa, contaminada, há o risco desse vírus entrar em territórios novos”, afirmou.

Comercialização

Juan Lubroth disse ainda que pássaros silvestres podem carregar a variante do vírus, mas ações humanas na produção e comercialização ajudam a difundir a doença.

A FAO informou que está preocupada com relatos de casos na China e no Vietname, onde uma variante do vírus da gripe aviária estaria a resistir a vacinas.

*Apresentação: Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud