Novo presidente de Cabo Verde quer livre circulação na Cplp
BR

26 agosto 2011

Jorge Carlos Fonseca diz que deve haver vontade política para permitir que os povos de língua portuguesa se movimentem, sem barreiras, dentro dos oito países que falam o idioma; segundo ele, uma dos impedimentos é a (falta de) motivação.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O presidente eleito de Cabo Verde afirmou que está pronto para promover a livre circulação de pessoas entre os oito países que falam a língua portuguesa.

Em sua primeira entrevista à Rádio ONU, desde a vitória nas eleições de domingo, Jorge Carlos Fonseca afirmou que apesar, de difícil, a ideia “não é uma utopia”.

Disponível para Trabalhar

“Se nós não formos capazes com vontade política e imaginação de encontrar, a prazo, condições para a livre circulação, eu creio que teremos falhado como pessoas que querem, patrocinam e desejam uma verdadeira comunidade de povos de língua portuguesa. Portanto, é preciso trabalhar neste sentido. Eu estou disponível para trabalhar. Eu sei que não é fácil. Mas se houver motivação. Há um problema também com a motivação dos Estados. Qualquer um de nós, países da Cplp, pode dar mais para a Cplp e para sua afirmação no plano internacional”, afirmou.

Criada em 1996, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, Cplp, reúne atualmente as oito nações que falam o idioma. O principal objetivo do bloco é a concertação político-diplomática, além da promoção da língua portuguesa.

A comunidade lusófona reúne cerca de 245 milhões de pessoas que falam português como primeira língua das Américas à Ásia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud