Insegurança em Trípoli atrasa retirada de mais migrantes da Líbia
BR

23 agosto 2011

Barco desistitu de atracar no porto da capital após intensificação dos combates entre opositores e simpatizantes do líder Muammar Kadafi.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Os violentos choques em Trípoli, capital da Líbia, pelo controle da cidade estão atrasando a retirada de mais migrantes do local.

A informação foi dada pela Organização Internacional para Migrações, OIM, após uma tentativa de chegar a Trípoli.

Explosões

Um barco, fretado pela agência, desistiu de atracar no porto da capital líbia por causa da insegurança. A embarcação partiu de Benghazi, considerada quartel-general dos rebeldes.

Segundo agências de notícias, durante a madrugada foram ouvidas trocas de tiros e explosões perto de áreas controladas por rebeldes e por tropas do governo do líber líbio Muammar Kadafi.

Nesta terça-feira, a OIM pediu a ambos os lados do conflito que permitam a evacuação de milhares de estrangeiros que querem sair da Líbia. A maioria é de Bangladesh, das Filipinas e do Egito. Mas há também muito africanos subsaarianos que acabaram isolados após o início dos confrontos, como contou à Rádio ONU, de Lisboa, o chefe interino da OIM no país, Hugo Tavares Augusto.

Combustível

“Não conseguiram ainda contatar suas embaixadas e manifestar seu interesse em abandonar a capital. No fundo, uma série de nacionalidades acabam por não se beneficiar deste apoio”, disse.

Em Genebra, a porta-voz do Programa Mundial de Alimentos, Christiane Berthiaume, informou que os choques em Trípoli levaram o comércio a fechar suas portas. A falta de combustível está causando um aumento no preço dos alimentos na capital líbia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud