Ban reage à “ falta de progressos” no conflito líbio

11 agosto 2011

Em conversa telefónica com o primeiro-ministro líbio, o Secretário-Geral pediu empenho das partes no processo político e exortou às autoridades a responderem de forma construtiva às propostas do seu enviado especial.

[caption id="attachment_202999" align="alignleft" width="350" caption="Ban Ki-moon conversou por telefone com o primeiro-ministro líbio, Baghdadi al-Mahmoudi"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral da ONU, renovou o seu apelo a todas as partes do conflito líbio que se empenhem no processo político, e lamentou a falta de progressos nos esforços para resolver a crise.

Ban Ki-moon teve, esta quarta-feira, uma conversa telefónica com o primeiro-ministro líbio,  Baghdadi al-Mahmoudi.

Confrontos

Confrontos ocorrem no país desde o surgimento, em Fevereiro, do movimento pró-democrático contra o regime de Muammar Kadafi,  na sequência de protestos similares aos da Tunísia, Egipto e outros países do Norte de África e do Médio Oriente.

Na ocasião, Ban manifestou “grande preocupação” com a absoluta falta de progressos nos esforços para encontrar uma solução politicamente negociada para a crise, apesar dos esforços do seu enviado especial, Abdel al-Khatib.

Processo Político

O Secretário-Geral disse que todos os lados devem se empenhar no processo político, e exortou o primeiro-ministro a responder de forma construtiva às propostas do enviado especial.

A ideia de um cessar-fogo e um regime de transição que responda às aspirações do povo líbio como única solução política duradoura para a crise tem sido avançada por vários funcionários das Nações Unidas.

Solução Política

Entretanto, as partes continuam divididas sobre uma solução política para o conflito, que, segundo a ONU já levou cerca de 630 mil pessoas a deixarem o país além de 200 mil deslocados internos.

Ban, que efectua uma visita oficial à República da Coreia, também expressou sua preocupação “com a perda de vidas de civis inocentes, como resultado da luta e da falta de suprimentos médicos e combustíveis.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud