Aumento de refugiados dita abertura de acampamento na Etiópia

5 agosto 2011

Acnur anuncia início a transferência de cerca de 15 mil vítimas da fome para descongestionar o centro de trânsito de Dollo Ado na Etiópia; chegadas diárias ao complexo queniano de Dadaab sobem para 1,5 mil.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, abriu o quarto acampamento na Etiópia para responder ao congestionamento do lotado centro de trânsito de Dollo Ado. A instalação de Hilaweyn é a quarta a ser montada na região etíope.

Em parceria com o governo e a Organização Internacional para Migrações, a agência iniciou a transferência de cerca de 15 mil refugiados, numa operação que deve durar 10 dias.

De acordo com a ONU, 12,4 milhões de pessoas são alvos da assistência de agências da organização e dos seus parceiros humanitários no Corno de África. Espera-se que a situação de emergência na região persista durante os próximos três a quatro meses.

Em entrevista à Rádio ONU, de Dabaab, o porta-voz do Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, William Spindler, deu conta da subida no número de chegadas diárias ao complexo queniano, considerado o maior do mundo.

“Esta população está crescer diariamente. Cerca de 1,5 mil pessoas chegam com fome, cansadas e com medo e a capacidade de responder a esta crise é muito difícil devido ao número de pessoas e às condições à sua chegada.”

O Acnur anunciou ainda que, em parceria com a organização Médicos Sem Fronteiras, espera medicar aos refugiados na Etiópia, à sua partida do centro de trânsito. Suspeita-se que um surto de sarampo esteja a assolar Dollo Ado e  outros acampamentos da área.

Na quinta-feira, trabalhadores da saúde comunitária num acampamento em Kobe, que alberga 25 mil pessoas, relataram a ocorrência de 25 mortes.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud