Acnur celebra os 100 anos de angolano refugiado na Zâmbia
BR

3 agosto 2011

Festa de aniversário de Erculano Salugardo teve dança, brindes e entrega de presentes, incluindo um novo colchão, cobertores, roupas e comida; ele é considerado o refugiado mais velho no país.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O campo de Mayukwayukwa, na Zâmbia, esteve em festa na última sexta-feira, para comemorar os 100 anos do angolano Erculano Salugardo, o refugiado mais velho no país.

A celebração de aniversário foi organizada pelo Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur. Entre músicas, danças e brindes, Erculano também ganhou presentes, como um colchão, novas roupas, cobertores e comida.

Guerra

Erculano Salugardo deixou Angola no Ano-Novo de 2001, durante a guerra civil. Ele afirma que foi o pior dia da vida dele, já que teve que deixar a mulher e quatro filhas na sua província natal, Huambo. E até hoje, ele não conseguiu retomar o contato com a família.

A representante do Acnur na Zâmbia, Joyce Mends-Cole, parabenizou Erculano e disse que o conhecimento dele, a experiência e a sabedoria são um benefício para a comunidade. A Zâmbia abriga atualmente 49 mil refugiados e a maioria é de Angola.

Conselho

Durante a comemoração do centenário, Erculano Salugardo afirmou ao Acnur que esses 10 anos na Zâmbia tem sido os mais solitários da vida dele. Apesar de ter um bom relacionamento com seus colegas no campo de refugiados, ele lamenta que nenhuma mulher o aceitaria por causa da sua idade.

Na festa, Erculano aproveitou ainda para dar um conselho a todos os presentes, dizendo que “a melhor maneira de atingir uma idade tão avançada é cuidar saúde”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud