Unodc e México lançam programa de proteção a jornalistas
BR

1 agosto 2011

Em parceria com governo federal, agência da ONU vai organizar workshops nos estados mais afetados por crimes contra a imprensa; país já perdeu 71 profissionais desde 2000; em Paris, Unesco condenou assassinato de repórter mexicana.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, Unodc, lançou na sexta-feira um programa de proteção a jornalistas mexicanos. Segundo a Comissão Nacional dos Direitos Humanos, desde 2000, foram assassinados 71 jornalistas no México e muitos outros foram vítimas de ameaças, violência e intimidações.

Por meio de parceria com representantes de mídia, universidades e governos estadual e federal, o Unodc vai fornecer workshops para jornalistas das nove regiões mais afetadas pelos crimes contra a imprensa, como Chihuahua, Tamaulipas, Baja California e Cidade do México.

Estratégias

De acordo com o Unodc, durante o treinamento, os participantes vão aprender a identificar situações de risco e também serão criadas ferramentas para prevenção criminal e fortalecimento da lei.

Serão escritas ainda recomendações que servirão de guia para os profissionais. Esse material será apresentado no final do ano ao governo mexicano.

Unesco

Também na sexta-feira, em Paris, a Organização da ONU para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, condenou mais um asssassinato de jornalista no México.

A repórter investigativa Yolanda Ordaz de la Cruz trabalhava no jornal Notiver, em Veracruz, e foi a terceira funcionária do diário assassinada neste ano.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud