Relatório diz que governo da Eritreia planejou ataque contra União Africana
BR

29 julho 2011

Documento, compilado pelo Grupo de Monitoramento para a Somália e Eritreia, diz que ação é apenas uma das múltiplas violações dos embargos de armas cometidas pelo país do leste africano.

Yara Costa, da Rádio ONU em Nova York.*

Um novo relatório das Nações Unidas sugere que o governo da Eritreia “planejou um ataque a uma reunião da União Africana”, realizada no início deste ano em Adis Abeba, capital da Etiópia.

Segundo o documento, compilado pelo Grupo de Monitoramento sobre a Somália e a Eritreia, o governo eritreio “concebeu, planejou, organizou e dirigiu” o atentado a bomba que fracassou. O objetivo era atingir vários alvos civis e governamentais para abalar a reunião da União Africana.

Grupos Armados

O governo da Eritreia admite manter relações com grupos armados de oposição da Somália, incluindo o grupo militante islâmico Al-Shabaab. Mas o país nega fornecer material militar, ou apoio financeiro, e diz que suas ligações estão limitadas a um caráter político e humanitário.

Mas de acordo com materiais e provas obtidos pelo Grupo de Monitoramento, incluindo registros de pagamentos, entrevistas com testemunhas e dados relativos à movimentação marítima e aérea, a Eritreia estaria sim apoiando grupos armados da oposição na Somália.

Processo Político

Segundo o relatório, o relacionamento contínuo da Eritreia com o grupo Al-Shabaab "legitima e encoraja o grupo ao invés de conter sua orientação extremista, ou incentivar a sua participação em um processo político."

O documento indica ainda que pelo menos duas empresas possam ter cometido violações importantes do embargo de armas envolvendo-se em treinamento e equipamento não autorizado de milícias somalis.

*Apresentação: Luisa Leme, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud