Brasil deve começar a vender novo remédio para tratamento da hepatite C
BR

28 julho 2011

Medicamento certificado pela Anvisa (boceprevir), na semana passada, pode ajudar na cura da doença, diz especialista; neste 28 de julho, a ONU comemora o primeiro Dia Mundial contra a Hepatite.

[caption id="attachment_202318" align="alignleft" width="350" caption="O vírus da hepatite B é até 100 vezes mais infeccioso do que o HIV, mas pode ser prevenido com vacinação"]

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York. *

As Nações Unidas marcam neste 28 de julho o primeiro Dia Mundial contra a Hepatite. A doença afeta uma em cada três pessoas em todo o globo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, quase 1 milhão de pessoas morrem todos os anos com infecções geradas a partir da hepatite.

Sintomas

A diretora-geral da agência, Margaret Chan, afirmou que a primeira medida na batalha contra a hepatite deve ser o teste. Ela contou que milhões de pessoas têm a doença, mas sem os sintomas.

A OMS pediu ainda o aumento de vacinação, melhor controle de transferência de sangue e a esterilização de instrumentos em instalações médicas.

Nesta entrevista à Rádio ONU, de São Paulo, o infectologista Hélio Bacha, lembrou que o governo brasileiro oferece tratamento para a hepatite dos tipos A e B. Segundo Bacha, a certificação de uma nova droga pela Anvisa deverá ampliar as chances de cura para a hepatite C.

Introdução

“A hepatite C, nós já temos uma forma tradicional de tratamento que é o uso de um antiviral combinado com uma medicação que se chama ribavirina e, recentemente, nós tivemos o lançamento, a aprovação no país, de uma outra droga ainda de introdução no mundo recente que leva a potencializar a cura da hepatite C, principalmente do genótipo 1. O genótipo 1 é um tipo de vírus da hepatite C que 50% dos casos no Brasil são devidos a essa hepatite.

No Brasil, foi certificado pela Anvisa, semana passada, a utilização dessa medicação que é o boceprevir, ela ainda não está disponível para o uso hoje, mas se pensa que aqueles pacientes, que fizeram o tratamento com as duas drogas e não responderam, podem ter utilidade com essa droga nova. E temos um índice de cura em torno de três vezes maior do que o índice de cura do tratamento tradicional.

Cirrose

(O medicamento) ainda não foi comercializado, o que nós tivemos foi a aprovação do uso da droga. Agora, imagino que as autoridades do país devam abrir licitação para a compra da medicação, distribuição, viabilização inclusive de custos para utilização da droga.”

De acordo com a OMS, a melhor proteção contra as hepatites A e E são alimentos seguros e água potável.

A doença pode ser transmitida através de sangue contaminado ou outros fluidos humanos.  O vírus da hepatite B é até 100 vezes mais infeccioso que o HIV, e pode ser prevenido com a vacinação.

A hepatite C pode causar cirrose e até câncer no fígado. Mais de 350 mil pessoas morrem de doenças relacionadas à hepatite C todos os anos.

*Apresentação: Luisa Leme, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud