PMA anuncia carregamento de toneladas de alimentos para a Somália

26 julho 2011

Crianças são os principais alvos de carregamentos de toneladas de alimentos terapêuticos; Mogadíscio recebeu cerca de 100 mil deslocados internos em dois meses.

[caption id="attachment_202207" align="alignleft" width="350" caption="O Acnur atendeu refugiados somalis com pontes aéreas quando o acampamento de Dadaab, no Quénia, foi atingido por enchentes em 2006"]

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Uma série de pontes aéreas deve iniciar, esta terça-feira, na capital somali Mogadíscio, anunciou o Programa Mundial da Alimentação, PMA. Os carregamentos são compostos por cerca de14 toneladas de alimentos terapêuticos para crianças “gravemente desnutridas.”

Em colaboração com ONGs, a agência pretende fazer a distribuição alimentar na fronteira com o Quénia e a Etiópia. A crise alimentar que afecta o Corno de África foi desencadeada pela pior seca na região em 60 anos.

Assistência

De acordo com a Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, nos últimos dois meses, estima-se que a capital somali tenha recebido até 100 mil deslocados internos.

Na semana passada, duas regiões do sul foram declaradas como zonas de fome, no país com 3,7 milhões de necessitados.

Doações Insuficientes

A agência aponta para um cenário de desespero devido à fome,  com deslocados que se confrontam para obter alimentos distribuídos pelas agências humanitárias. A insuficiência de doações, resultante do número crescente de pessoas deslocadas, é igualmente indicada pela agência.

A ONU na Somália anunciou que mais de US$ 300 milhões são necessários para ajudar às vítimas da crise, durante os próximos dois meses.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud