Sanções agravam a fome em Madagáscar, alerta perito da ONU

22 julho 2011

Relator especial da ONU sobre o Direito à Alimentação pede reconsideração das sanções impostas ao país após a crise política de 2009.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU, em Nova Iorque.

As sanções económicas estão a agravar a fome em Madagáscar, de acordo com o relator especial da ONU sobre o Direito à Alimentação, Olivier De Schutter.

No seu regresso de uma a missão oficial à ilha do Oceano Índico, o perito, disse que é momento de reconsiderar as sanções impostas ao país após a crise política de 2009.

Insegurança Alimentar

Olivier De Schutter avisou que as medidas agravam a situação de insegurança alimentar, já calamitosa em metade do país. Ao mesmo tempo, ele acrescentou, as autoridades de transição não devem usar as sanções como pretexto para a inacção e evitar uma catástrofe humanitária na população.

O relator destacou ter havido uma "dinâmica promissora", antes da crise nomeadamente o desenvolvimento de uma agricultura de alto desempenho ecológico e da reforma agrária para garantir o acesso da população à terra.

Ele ressaltou o sistema de cultivo intensivo do arroz como “pura invenção Malgaxe” que permite que os rendimentos aumentem para “o dobro, triplo ou o quádruplo.

Madagáscar tem um dos mais altos níveis de desnutrição infantil no mundo.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud