Perguntas e Respostas: Fome no Sul da Somália*
BR

20 julho 2011

Entenda a crise humanitária que afeta o país.

1 - Como a fome é definida?

Embora haja várias definições de fome, muitas agências de análises de segurança alimentar, incluindo a  Fsnau e Fews NET, usam a versão de definição da Classificação Integrada de Fase de Segurança Alimentar, IPC.

De acordo com a IPC, evidências de três fatores específicos são necessárias para que uma situação de fome seja declarada: que pelo menos 20% das famílias da região enfrentem escassez de alimentos extremos com capacidade limitada de lidar com o problema, uma prevalência de desnutrição aguda global maior que 30 % e taxas de mortalidade aguda superiores a duas mortes por 10 mil pessoas por dia.

2 - Por que a situação atual nas regiões da Baixa Shabelle e de Bakool está sendo classificada como uma situação de "fome"?

As condições nas duas regiões baseiam-se em evidências de que os três fatores de acesso aos alimentos, nutrição e a mortalidade estão superando os níveis necessários. Outros indicadores de que a situação na área é muito séria incluem o grande deslocamento de pessoas e os surtos de doenças.

3 - Como é que esta situação se compara com a questão da atual segurança alimentar em outras partes do mundo?

Esta fome representa a situação de insegurança alimentar mais grave no mundo de hoje, tanto em termos de escala quanto de gravidade.

4 - Como é que esta situação se compara com as fomes anteriores?

As taxas de mortalidade atuais e os níveis de desnutrição são comparáveis ​​ou superiores aos relatados durante as recentes crises na Nigéria (2005), Etiópia (2001), Sudão (1998) e Somália (1992). A combinação da gravidade e o alcance geográfico tornam esta crise de segurança alimentar a mais severa na África desde a fome na Somália de 1991/92.

5 - É possível que outras áreas na Somália também experimentem condições de fome no futuro?

Sim. No momento, até julho de 2011, a condição de fome existe apenas em duas regiões. Mas se intervenções humanitárias imediatas de escala abrangente não forem tomadas no sul da Somália, existe a possibilidade de que nos próximos 1 ou 2 meses, toda a área passe a enfrentar uma situação de grande fome, devido aos atuais níveis de mortalidade e desnutrição.

6 - Quantas pessoas estão em necessidade e em quais regiões?

A estimativa é que a crise esteja atingindo 3,7 milhões de pessoas em todo o país, e que 3,2 milhões dessas pessoas precisem de assistência humanitária urgente.  Aproximadamente 2,8 milhões dos famintos vivem nas regiões do sul da Somália, o que representa 63% dos 4,5 milhões de residentes da área.

7 - O Quênia e a Etiópia também estão em situação de fome?

Existe uma crise grave de segurança alimentar regional no sul da Etiópia e no norte do Quênia, com populações presisando de assistência humanitária de emergência. Mas não existe uma previsão de fome fora da região sul da Somália.

8 - Ainda há tempo para intervir e qual seria o tipo de resposta mais eficaz para a crise?

A resposta humanitária atual é inadequada para atender às necessidades de emergência, mas dezenas de milhares de vidas ainda podem ser salvas com um resposta efetiva, abrangente e imediata.

9 - Quais são as perspectivas para as plantações na Somália nos próximos seis meses?

A estimativa é que a produção agrícola e a colheita da safra de agosto atinja no máximo 50% da média dos últimos cinco anos. Ao mesmo tempo, existe uma previsão de normalidade em relação as colheitas  de cereais na região da África Oriental.

10 - Quais são as perspectivas em relação aos preços dos alimentos na Somália nos próximos 6 meses?

Embora as importações de arroz tenham tido um aumento significativo nos últimos meses, restrições comerciais ainda existem, e é provável que a redução das colheitas provoque um aumento ainda maior nos preços dos cereais locais até dezembro de 2011. O preço do arroz vermelho importado, que ainda está acima do valor de outros cereais, permaneceu relativamente estável nos últimos dois anos. Isso provavelmente provocará um pico nos preços do sorgo vermelho e do milho branco.

11 - Quais são as perspectivas para o pasto na Somália nos próximos seis meses?

A disponibilidade de pastagem já está significativamente abaixo da média e deve deteriorar ainda mais, o que indica que a próxima época de seca será de muita dificuldade para as famílias pastorais.

12 - Por quanto tempo as necessidades devem durar?

Levando em consideração que muitas famílias já perderam quase tudo ou todos os seus meios de renda, é muito provável que assistências externas sejam necessárias até o próximo ano, e talvez por um ainda tempo maior. Necessidades imediatas e de longo prazo serão diferentes durante este período. A assistência humanitária de emergência é urgente no momento, mas a reconstrução e a restauração dos meios de subsistência provavelmente se extenderão por muito mais tempo.

13 - Quantas pessoas já morreram? Quantos ainda devem morrer?

Estimativas indicam que nos últimos 3 meses já ocorreram dezenas de milhares de mortes. É provável que mais pessoas morram, mas estimativas de números específicos são impossíveis.

14 - Houve tivemos algum alerta prévio desta crise? Quando este alerta foi dado?

Sim. Fews NET e Fsnau forneceram informações regulares de alerta desde agosto de 2010.

15 - O que está acontecendo nas regiões central e norte da Somália?

Estas regiões também estão enfrentando uma insegurança alimentar grave, com quase meio milhão de pessoas com necessidade de assistência humanitária de emergência para sobreviverem.

16 - Como é que o conflito afeta a segurança alimentar?

O conflito pode reduzir tanto a disponibilidade quanto o acesso aos alimentos. A produção de comida pode diminuir como resultado do deslocamento de pessoas e a instabilidade civil. A interrupção do comércio pode levar à falta de alimentos disponíveis e de serviços básicos como educação e saúde.

17 - Qual é a verba necessária para enfrentar a fome?

Estimamos que o equivalente a aproximadamente R$ 469 milhões sejam necessários nos próximos meses para enfrentar a fome que se espalha pela região.  Esta é apenas uma estimativa aproximada que deve aumentar em breve com o crescimento no número de pessoas necessitadas.

*Material produzido pela Web-Relief, Ocha.

*Tradução: Daniela Gross, da Rádio ONU em Nova York.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud