ONU lança apelo de US$ 21 milhões para repatriamento de refugiados angolanos

12 julho 2011

Cerca de 34 mil devem regressar ainda este ano e outros 26 mil em 2012; segundo agências da ONU, a RD Congo acolhe mais de 111 mil angolanos.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Agências das Nações Unidas lançaram, esta terça-feira, um apelo conjunto de US$ 21 milhões para apoiar o regresso de milhares de refugiados angolanos ao seu país.

Com a iniciativa, o Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, e a Organização Internacional para Migrações, OIM, esperam que mais 34 mil pessoas retornem a Angola, ainda este ano, e outros 26 mil em 2012.

Retornados

Segundo a OIM,  o maior número de retornados será proveniente da República Democrática do Congo, RD Congo. O país alberga actualmente mais de 111 mil refugiados angolanos.

Cerca de 10 anos após a guerra civil em Angola, e apesar de uma operação de repatriamento voluntário de larga escala ter encerrado em 2007, 146 mil refugiados angolanos continuam no Botsuana, República do Congo, na Namíbia e na Zâmbia.

Assistência Humanitária

Grande parte dos refugiados na RD Congo e na Zâmbia continuam a viver nos campos e a depender de assistência humanitária para sobreviver.

As agências alertam ainda que, no fim de 2011, os refugiados angolanos nos países de acolhimento deixarão ter o estatuto, e caso queiram permanecer, deverão  fazê-lo como migrantes.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud